Acervo de Escritores Mineiros – UFMG

Agosto de 1989: a família de Henriqueta Lisboa doa à Faculdade de Letras da UFMG os fundos documentais da escritora. Com a finalidade de cuidar dessa documentação extremamente rica e valiosa, promover sua utilização como fonte de pesquisa e organizar sua exposição ao público, é criado, naquele mesmo ano, o Centro de Estudos Literários (CEL), que, mais tarde, torna-se Órgão Complementar da Faculdade de Letras da UFMG e passa a se chamar Centro de Estudos Literários e Culturais (CELC). Pouco tempo depois da chegada do primeiro acervo, são recebidos pela entidade os fundos documentais de Abgar Renault, Cyro dos Anjos, Murilo Rubião e Oswaldo França Júnior. Com apoio do CNPq, da FAPEMIG e da Faculdade de Letras da UFMG, o centro desenvolve, desde 1991, o Projeto Integrado de Pesquisa Acervo de Escritores Mineiros. O sucesso do empreendimento é atestado, nos anos seguintes, por numerosos projetos de pesquisa, eventos e publicações, realizados com apoio de instituições do Brasil e do exterior. Em dezembro de 2003, é inaugurada a atual sede do CELC-AEM, construída com financiamento do FUNDO CT-INFRA/FINEP e reformada em 2011, para viabilizar o recebimento de outros conjuntos documentais. Graças ao apreço pelo interesse público demonstrado pelos doadores, novos acervos e coleções são paulatinamente incorporados ao conjunto inicial, hoje ampliado para 13 acervos de escritores e 12 coleções especiais. Verdadeiro work in progress, o trabalho com acervos literários e culturais requer uma dedicação contínua a tarefas sem fim, por meio das quais potencializam-se as pesquisas, os desejos e os sonhos do arquivo.