Acervo de Escritores Mineiros – UFMG

Destaca-se como educador, homem público, poeta e tradutor. Exerce cargos públicos, como os de Secretário de Estado da Educação de Minas Gerais e Ministro da Educação. Em 1969 entra para a Academia Brasileira de Letras. Realiza traduções de autores das línguas inglesa, francesa, espanhola e alemã. No contexto da Segunda Guerra Mundial, traduz poemas ingleses sobre guerras, merecendo condecoração da rainha Elizabeth II pela difusão da cultura britânica.

Coleção Bibliográfica, constituída por 5976 livros e 1800 periódicos, e Coleção Documental com 3010 documentos (cartas, fotografias, quadros, mobiliário etc). [Acervo doado pela família.]

Formado pela Faculdade de Direito da UFMG. Leciona Literatura Brasileira na Universidade do Novo México. Com Murilo Rubião e Affonso Ávila, cria o Suplemento Literário do Minas Gerais. Na década de 1990, dirige a Fundação Palmares. Parte de sua obra está traduzida para o inglês, o alemão e o húngaro. Dentre os prêmios recebidos, destacam-se o Prêmio Cidade de Belo Horizonte, em 1972, e o Prêmio da Fundação Cultural do Distrito Federal, em 1991.

Coleção Bibliográfica, com 114 livros e 25 periódicos, e Coleção Documental com aproximadamente 1900 documentos (correspondência, iconografia, produção intelectual do titular e de terceiros, recortes de jornais e revistas, discos, objetos pessoais etc). [Acervo doado por Pedro Ventura.]

Affonso Ávila: Tem importante atuação como poeta, critico literário, ensaísta e especialista em arte barroca. Na década de 1950, trabalha como jornalista e como auxiliar de gabinete do governador JK. Participa do movimento literário da poesia de vanguarda, ao lado de Laís Corrêa de Araújo, com quem se casa. De 1969 a 1980, contribui com projetos relacionados à preservação das cidades históricas de Minas Gerais. Em 1991, recebe o Premio Jabuti de poesia, pelo livro O visto e o imaginado.

Laís Corrêa de Araújo: Poeta, professora universitária, jornalista, crítica literária e pesquisadora. Forma-se em Línguas Neo-Latinas pela UFMG. Nas décadas de 1950 e 1960, participa das ousadas propostas de poesia de vanguarda, ao lado de Affonso Ávila, com quem se casa. Em 1959, cria a coluna “Roda Gigante”, no jornal Estado de Minas. Colabora também com a revista O Cruzeiro e o jornal O Estado de S. Paulo. Destaca-se na tradução e no ensaísmo, com estudos sobre Murilo Mendes e outro autores.

Coleção Bibliográfica, constituída por aproximadamente 6 mil itens (livros, periódicos, discos de vinil, fitas VHS etc), e Coleção Documental com aproximadamente 60 mil documentos (correspondência, recortes de jornais, rascunhos, originais, objetos pessoais etc). Inclui documentação sobre a escritora Zilah Corrêa Araújo. [Acervo doado pela família.]

Formado em Comunicação Social, trabalha em alguns jornais, destacando-se como repórter e redator especializado em literatura do jornal Estado de Minas, onde também é cronista. Desenvolve, a partir da década de 1980, sólida carreira como autor de contos, romances e crônicas. Publica diversos livros e recebe distinções importantes, como o Prêmio de Literatura Cidade de Belo Horizonte (1982) e o Prêmio Especial do Júri da União Brasileira de Escritores (2002).

Coleção Bibliográfica, com 1326 volumes (principalmente de literatura brasileira contemporânea) e 20 periódicos, e Coleção Documental com 1177 documentos (correspondência, iconografia, produção intelectual do titular e de terceiros, vídeos, recortes de jornais e revistas etc). [Acervo doado pelo titular.]

Formado em Direito, atua como repórter em jornais mineiros. Ocupa cargos públicos, como os de Diretor da Imprensa Oficial de Minas Gerais e Diretor do IPASE. Atua no magistério, lecionando cursos de Estudos Brasileiros no México e na Universidade de Lisboa. Torna-se Ministro do Tribunal de Contas e professor da Universidade de Brasília. Em 1969 ingressa na Academia Brasileira de Letras.

Coleção Bibliográfica, constituída por 2117 exemplares, e Coleção Documental com 214 documentos (cartas, iconografia, produção intelectual do titular, recortes de jornais e revistas, mobiliário, objetos pessoais etc). [Acervo doado pela família.]

Na década de 1940, em Belo Horizonte, ingressa na Faculdade de Direito e assume seu primeiro cargo público na Secretaria de Finanças do Estado de Minas Gerais. Funda, em 1960, a Editora do Autor e, mais tarde, a Editora Sabiá. Exerce a função de adido cultural do Brasil em Londres. Recebe o Prêmio Jabuti pelo livro O grande mentecapto. Pelo conjunto da obra, a Academia Brasileira de Letras lhe concede o Prêmio Machado de Assis.

Coleção Bibliográfica, constituída por 4000 livros, e Coleção Documental com 274 documentos (cadernetas, agendas “Bem Te Vi Filmes”, correspondência, produção intelectual do titular e de terceiros, fotocópias de datiloscritos de Hélio Pellegrino, fotografias, móveis, instrumento musical, objetos pessoais etc). [Acervo doado pela família.]

Religioso da Ordem Dominicana, intelectual e revolucionário, luta contra a ditadura militar desde o início do regime, em 1964. É preso em 1969 e solto em 1973, retomando sua atuação política a favor de movimentos populares e sindicais. Adepto da Teologia da Libertação, atua como assessor especial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e torna-se coordenador de Mobilização Social do programa Fome Zero. Publica mais de 50 obras em diversas áreas e ganha dois Prêmios Jabuti, pelos livros Batismo de sangue e Típicos tipos.

Coleção Bibliográfica, constituída por aproximadamente 200 livros e 350 periódicos, e Coleção Documental com cerca de 350 documentos (cartas, fotografias, quadros, mobiliário etc). [Acervo doado pelo titular.]

Forma-se normalista pelo Colégio Sion de Campanha. Em 1935 muda-se para Belo Horizonte, exercendo as atividades de poeta, tradutora, ensaísta, professora e inspetora de ensino, entre outras. Em 1963 torna-se a primeira mulher eleita para a Academia Mineira de Letras. Recebe o Prêmio Machado de Assis, da Academia Brasileira de Letras, pelo conjunto de sua obra, em 1984.

Coleção Bibliográfica, constituída por 4637 livros e 3101 periódicos, e Coleção Documental com 8086 documentos (correspondência pessoal e burocrática, iconografia, originais, mobiliário, quadros, produção intelectual do titular e de terceiros, prêmios e homenagens, documentos pessoais etc). [Acervo doado pela família.]

Membro de conhecida família de escritores – como Aníbal Machado e Maria Clara Machado –, torna-se conhecida como autora de literatura infanto-juvenil e como intelectual dedicada a estudos e pesquisas sobre a cultura e a arte brasileiras. Exerce a função de editora do Suplemento Literário do Minas Gerais. Recebe distinções importantes pelo trabalho realizado na divulgação, junto aos jovens, de temas do patrimônio e da mineiridade.

Coleção Bibliográfica, com 40 livros e 03 periódicos, e Coleção Documental constituída por 315 documentos (correspondência, iconografia, mobiliário, produção intelectual do titular e de terceiros, recortes de jornais e revistas, documentos e objetos pessoais etc). [Acervo doado pela família.]

Além do trabalho como escritor, ocupa importantes cargos públicos. Cria o Suplemento Literário do Minas Gerais e liga-se a várias escolas e grupos literários, a artistas plásticos e a diversos representantes da classe política, como JK e Tancredo Neves. É um dos maiores representantes do fantástico brasileiro, tornando-se o primeiro escritor a publicar trabalhos no gênero na América Latina, com o lançamento, em 1947, de O ex-mágico.

Coleção Bibliográfica, constituída por 3446 livros e 310 periódicos, e Coleção Documental com 9600 documentos (originais, cartas, fotografias, quadros, mobiliário etc). [Acervo doado pela família.]

Advogado, poeta e jornalista, é referência importante no cenário intelectual e cultural em Minas Gerais nas décadas de 1930 a 1960, especialmente no periodismo e na crítica literária. Edita o jornal Horizonte (1952-1953) e a revista Livros & Fatos (1969-1970). Colabora com o Diário de Minas durante a década de 1960, onde assina as colunas “Livros & Fatos”, “Jornal de Literatura”, “Capa e Contracapa”, “Notícia Literária” e “Cozinha Pitoresca”.

Coleção Bibliográfica, com 1246 títulos e 62 periódicos, e Coleção Documental constituída por 350 documentos (correspondência, iconografia, produção intelectual do titular, recortes de jornais e revistas, discos, mobiliário, objetos pessoais etc). [Acervo doado pela família. Parte da correspondência foi doada pelo escritor Mario Garcia de Paiva.]

Ingressa na Força Aérea Brasileira, indo para o Curso de Formação de Cadetes, em Barbacena, e depois para o Curso de Formação de Oficiais Aviadores, no Rio de Janeiro. Em 1964 é afastado da Aeronáutica, sob a acusação de ser subversivo. Vários de seus livros foram traduzidos em diferentes línguas. Em 1967 recebe o Prêmio Walmap por Jorge, um brasileiro, livro que recebe adaptação para o cinema e a televisão.

Coleção Bibliográfica, constituída por 2355 livros e 119 periódicos, e Coleção Documental com 3100 documentos (originais, cartas, fotografias, quadros, mobiliário etc). [Acervo doado pela família.]

Formado em Direito, é considerado um dos mais talentosos contistas mineiros da segunda metade do século XX. Exerce a atividade de jornalista durante toda a vida. Cronista do bairro boêmio e operário da Lagoinha, o escritor se notabiliza também por sua atuação pública, ocupando cargos de editor do Suplemento Literário do Minas Gerais e de diretor da Rádio Inconfidência. Recebe o Prêmio Jabuti pelos livros Dois irmãos e Os rios morrem de sede.

Coleção Bibliográfica, com 1766 livros e 86 periódicos, e Coleção Documental constituída por 3298 documentos (correspondência, iconografia, originais, recortes de jornais e revistas, discos, objetos pessoais etc). [Acervo doado pela família.]